Bolsa sobe 0,26%, puxada por Petrobras, e tem maior nível desde novembro

Publicado em 09

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em alta de 0,26%, a 53.802,66 pontos, nesta quinta-feira (9). É o maior nível em mais de quatro meses, desde 28 de novembro do ano passado, quando a pontuação foi de 54.664,36.

A alta interrompe uma sequência de duas quedas. No dia anterior, o índice havia caído 0,13%, a 53.661,11 pontos. 

A valorização desta quinta foi puxada pelos ganhos das ações da Petrobras.  O mercado segue na expectativa de que o balanço auditado da empresa, referente a 2014, seja divulgado nos próximos dias. Segundo reportagem do jornal "Folha de S.Paulo", a publicação deve acontecer até o dia 20 deste mês.

As ações preferenciais da companhia (PETR4), com prioridade na distribuição de dividendos, avançaram 9,06%, a R$ 11,56. As ações ordinárias (PETR3), com direito a voto em assembleia, subiram 9,28%, a R$ 11,54.

Dólar sobe 0,47%, a R$ 3,071

No mercado de câmbio, o dólar comercial subiu 0,47% e fechou em R$ 3,071 na venda. É o menor valor de fechamento desde 5 de março, quando a moeda valia R$ 3,012.

Na sessão anterior, a moeda norte-americana havia fechado em queda de 2,48%, a R$ 3,056 na venda, no menor valor em mais de um mês.

Bolsas internacionais

As principais Bolsas da Europa fecharam em alta, após a divulgação de dados positivos sobre o setor automotivo. A maior alta foi a da Bolsa de Portugal, de 1,96%. O mercado de ações na França subiu 1,4% e, na Inglaterra, 1,12%. A Bolsa de Frankfurt avançou 1,08%, a da Itália se valorizou 0,96%, e a da Espanha ganhou 0,68%.

As Bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam em queda, com exceção das Bolsas do Japão e de Hong Kong. O mercado de ações na China perdeu 0,91%, e na Austrália, 0,48%. As Bolsas de Taiwan, Coreia do Sul e Cingapura fecharam quase estáveis, com leves quedas de 0,04%, 0,02% e 0,01, respectivamente. Por outro lado, o índice japonês Nikkei subiu 0,75%, e a Bolsa de Hong Kong avançou 2,7%. 

Fonte: Reuters

BC projeta queda de 0,5% do PIB e inflação de 7,9% em 2015

Publicado em 01

Brasília - O Banco Central projeta que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro vai cair 0,5 por cento neste ano, após retração estimada de 0,1 por cento em 2014, vendo chance de 90 por cento de estouro da meta de inflação este ano.

Segundo o Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta quinta-feira, a alta do IPCA atingirá 7,19 por cento neste ano segundo o cenário de referência, ante previsão anterior de 6,1 por cento.

Em 2016, o IPCA subirá 4,9 por cento, ante estimativa anterior de 5,0 por cento.

Fonte: Reuters