Lucas Mineiro projeta duelos contra Pepey e Stephens no UFC: ‘a meta é ser top 10′

Publicado em 01

Recuperado de lesão, Lucas Martins, o ‘Mineiro’, está voando nos treinamentos da Chute Boxe. O atleta planeja voltar ao octógono do UFC em maio ou em junho, quando a organização realiza edições no Brasil. O pupilo de Diego Lima revelou as metas para 2015, o planejamento em busca do top 10 e relatou o desejo de enfrentar dois nomes do peso-pena do Ultimate: Godofredo Pepey e Jeremy Stephens.

No caso do cearense – que acabou emplacar a terceira vitória seguida no UFC Rio 6, contra André Fili – Mineiro explica que não existe inimizade, mas sim a vontade de enfrentar atletas duros. O nocauteador da Chute Boxe estava de olho no confronto entre Godofredo e Fili, com o objetivo de desafiar o vencedor. “Com certeza, ainda desejo enfrentar o Pepey. Ele veio bem, está de parabéns. Não tenho nada contra ele, sou amigo dele nas redes sociais, Instagram, Facebook, acho um grande lutador. Mas, se o UFC visar essa luta, eu luto sim, quero luta dura. Lá fora, o cumprimento numa boa”, disse Mineiro.

Mineiro ressalta que, como ‘funcionário do UFC’, ele está apto a enfrentar qualquer um e sempre buscará dar show para o público. “Queria muito o Fili, mas ele acabou perdendo. Mas, se colocar o Pepey, sou funcionário e estou ali para dar show. Sempre achei o Pepey muito bom, não o menosprezo. Ele foi ‘Performance da Noite’ merecidamente, tiro o chapéu. Gosto de luta dura e, se tiver que pegar ele, vai ter que estar preparado, porque eu já estou!”.

Focado em fazer várias lutas em 2015, Lucas quer terminar o ano dentro do top 10. Para isso, ele vai precisar vencer nomes deste seleto grupo. Sem pensar muito, Mineiro conta quem é o seu alvo da lista dos ranqueados: Jeremy Stephens. O americano já negou uma luta contra o brasileiro em 2014, pois o atleta da Chute Boxe ainda não é ranqueado. Posteriormente, Stephens aceitou lutar contra Charles Do Bronx, parceiro de Lucas, e perdeu.

“Admiro todos os tops, mas tem um cara, o Jeremy Stephens, que quero muito. Quiseram colocar ele para lutar comigo no Rio, mas ele não quis, dizendo que eu não era ranqueado. Acabei ficando chateado. Ele lutou com meu amigo Charles Do Bronx e perdeu. O Stephens é um cara duro na trocação, assim como eu. Se eu lutar contra ele, vou dar um show. Ele está na minha mira com certeza. Gosto de lutar com caras que saem na mão. Vai ser uma luta boa para mim. Vou estar com sangue nos olhos. Ele me menosprezou. Vou dar uma ‘pedrada’ nele para saber quem é o Lucas Mineiro“.

Com sede de luta, Mineiro quer retornar o mais rápido possível. O lutador pretende construir uma nova sequência e confia em prepara para maratona em 2015. “Quero fazer o máximo de lutas que puder. Quebrei minha costela em janeiro, o que impossibilitou lutar no UFC Rio 6. Mas, se lutar em maio, daqui a três meses, posso lutar de novo. Em 2012, fiz cinco lutas. Em 2013, quatro. Gosto de fazer várias lutas. Se não machucar, estarei pronto. A meta é ser top 10″.

Derrota e evolução
Lucas vinha com uma sequência de três vitórias seguidas até ser parado por Darren Elkins. O americano travou o jogo agressivo de Mineiro com wrestling, encurralando o brasileiro nas grades. Para o peso-pena da Chute Boxe, a derrota serviu para evoluir seu desempenho. “Acho que quando ganha, você eleva um pouco. Mas, a derrota faz você pensar um pouco mais. Sou faixa-roxa de jiu-jitsu, costumo finalizar faixa-preta na academia e também vou colocar para baixo nas minhas próximas lutas. O Darren Elkins é um monstro. Estou com outro estilo de jogo e agradeço por ter perdido para ele, para mudar meu jogo. Evoluí nos treinos, estou vendo isso”.